Selo Sou 100% PJe
  • RSS
  • Youtube
  • E-mail
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

O XVI Curso Intensivo de Formação Continuada para Magistrados chegou ao seu último dia nesta sexta-feira, 09/11. As atividades foram iniciadas com a palestra ministrada pelos servidores do Tribunal Regional do Trabalho da 20ª Região, Deborah Puig, da Secretaria da Corregedoria, e Fabrício Souza, Vara do Trabalho de Itabaiana, que explanaram sobre o tema ‘Fluxo Nacional Otimizado de procedimento em 1ª Instância – Wiki VT’.

De acordo com Deborah Puig, o projeto surgiu nas reuniões de secretários da Corregedoria, no Coleprecor realizado em outubro de 2017 e desde então vem sendo desenvolvido por secretários e diretores de 23 Tribunais, sendo que o TRT20 é um dos Tribunais patrocinadores.

“Percebemos a necessidade de ter um manual eletrônico de procedimentos da rotina da Vara do Trabalho, desse modo, foi desenvolvido o projeto que visa otimizar as rotinas de trabalho e fluxos de procedimentos do Processo Judicial Eletrônico (Pje). Possibilitando ao servidor verificar, em qualquer Tribunal do país, o fluxo do processo, desde a petição inicial até o arquivamento. Outro ponto positivo é que o servidor vai poder interagir, pois tem uma aba que é a parte de discussão, onde os servidores poderão opinar e dar sugestões. Temos uma equipe que vai analisar e a partir disso realizar a modificação”, explicou a secretaria da corregedoria que destacou a participação no curso como forma de apresentar o projeto aos magistrados e pedir que incentivem a utilização do sistema.

Após a apresentação dos servidores foi realizada uma oficina para que os magistrados discutissem alguns temas envolvendo a Justiça do Trabalho. “Neste último dia vamos nos dividir em grupos e realizar alguns debates. Escolhemos temas que são polêmicos e abordamos com uma visão mais interna, de acordo com a realidade do TRT20. É um dia que nós temos para falar da realidade dentro do nosso Regional. Com isso, encerramos a semana de forma extremamente produtiva”, relatou a coordenadora da Escola Judicial, a juíza Kátia Alves de Lima Nascimento.

Ainda segundo a coordenadora da EJUD20, a Escola tem sempre visado a formação holística do magistrado e não apenas o aperfeiçoamento técnico. “A humanização da atividade jurisdicional é muito importante, por isso, o tema da abertura foi em relação a empatia e humanidade, exatamente para mostrar o norte da programação de aperfeiçoamento”, destacou a juíza que explicou um pouco sobre a escolha dos temas. “Outro tema que é muito interessante e estamos sempre buscando atualização é o Trabalho Seguro, porque o Brasil continua sendo recordista em acidente de trabalho, por isso, em nossos cursos de formação buscamos sempre dar ênfase. Outro tema que sempre incluímos, até que seja absorvido, é a Reforma Trabalhista. Por isso, também tem sido, ainda, objeto das nossas abordagens, pois causou impacto na Justiça do Trabalho e na sociedade em geral”.

Fotos: Márcio Garcez