Selo Sou 100% PJe
  • RSS
  • Youtube
  • E-mail
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Na manhã desta segunda-feira, 29/10, alunos do 7º ao 10º período do curso de direito da Faculdade Estácio de Sergipe, realizaram visita técnica ao Tribunal Regional do Trabalho da 20ª Região (TRT20). A visita faz parte das atividades do Núcleo de Práticas Jurídicas da instituição de ensino.

Os estudantes estavam sob a orientação do advogado e professor, Flávio Matheus Siqueira, orientador do Núcleo, que falou da importância da atividade. “A visita técnica é uma forma de fomentar que os alunos conheçam a estrutura organizacional do órgão. É uma oportunidade de verem o funcionamento do TRT20, que é reconhecido nacionalmente pela sua celeridade. Além disso, como a profissão de direito dá um leque de opções muito grande, a gente sempre incentiva aqueles que já apresentaram aptidão para prestar concurso publico em conhecer o órgão ao qual almeja a carreira”, destacou.

Os acadêmicos foram recebidos pela Assessoria de Comunicação, com a visita sendo iniciada pela Biblioteca do TRT20, onde a turma foi recepcionada pela bibliotecária Mardiana Sampaio, que falou sobre a biblioteca digital e convidou os universitários para utilizarem o espaço, que é aberto ao público.

Em seguida os alunos foram até o Centro Judiciário de Métodos Consensuais de Solução de Disputas (CEJUSC-JT), lá a servidora Cláudia Loeser Amaral, explicou sobre o funcionamento do Centro e esclareceu algumas dúvidas.

A visita foi encerrada na Sala de Sessões, onde os alunos assistiram a sessão ordinária da Turma que o Presidente Integra, presidida pelo desembargador Josenildo dos Santos Carvalho, que cumprimentou os acadêmicos e falou de forma sucinta sobre a estrutura e funcionamento do TRT20.

Para a aluna Carolina Barros, 8º período, a visitá técnica é uma forma de conhecer um pouco mais da profissão. “É muito importante porque é um contato que temos com o Tribunal, podemos ver como vai ser nosso trabalho a partir do momento que sairmos da faculdade. Muitos de nós nunca teve contato com o órgão, eu por exemplo, é a primeira vez que venho aqui. É muito positivo sair da sala de aula e conhecer um pouco da realidade”, relatou.

Fotos: Roberta Dias